15 de nov de 2010

Dicas sobre a Ilha de Marajó

A Ilha de Marajó está localizada na foz do Rio Amazonas, extremo Norte do Estado do Pará e fica a 85 km ao sul da linha do Equador. Você pode chegar lá de barco, balsa ou táxi aéreo.
Saindo de Belém, existem barcos que partem do Cais Escadinha.
A duração da viagem é de 2 horas.
Quem vai de carro deve pegar a balsa no porto de Icoroaci, a 13km de Belém. 
Via Aérea: existem opções de viajar de táxi aéreo saindo de Belém! 
   
Belas praias de águas calmas,
dunas de areias claras,
vasta quantidade de pássaros e peixes,
e algumas florestas com raízes aéreas fenomenais!

A principal cidade com cerca de 100 mil habitantes é Breves, seguida pelo Soure que mesmo sendo menor é considerada a "capital" da ilha de Marajó.
A população da ilha chega a meio milhão de habitantes, bem menor que o número de búfalos existentes na região.

O lado Leste da Ilha apresenta uma planície coberta de savana. E o  lado Oeste as florestas.
Cercada pelo oceano Atlântico e pelos rios Amazonas e Tocantins, a Ilha de Marajó também é palco da "pororoca".
Fenômeno que ocorre quando as águas salgadas do Atlântico se encontram com as águas doces do rio Amazonas e o oceano as "empurra" para dentro de volta.
A maior pororoca do mundo é a do Marajó, onde se formam ondas com raio de aproximadamente 200 km e cerca de 4 metros de altura, sendo que as mais fortes ocorrem no período do Equinócio, em setembro e março. 

Mas também existe um movimento musical, embalado ao som do carimbó!
Para iniciantes, parece ser bem difícil  dançar. Mas ver quem sabe, é encantador e contagiante!


É difícil se locomover por lá, então vale tentar um táxi, se der sorte vai fazer amizade e descolar um amigo guia,  bem necessário para ganhar tempo na viagem e conhecer mais lugares e pessoas legais.

"... com que roupa eu vou..."


Coloque na mochila ou maleta se preferir;
tênis de montanha, camisetas confortáeis,  protetor solar e repelente, hawaianas para os mais tranquilos, roupas leves que secam rápido (em algum momento do dia vai chover)  uma capa de chuva é super necessária e algum agasalho.
Meninas saltos...nem pensar!
As lojas de artesanato locais oferecem  exemplares da arte marajoara para compra. A cerâmica é maravilhosa e segundo a psicóloga Lucy Penna, a arte surgiu na ilha de Marajó trazida por um povo indígena por volta do ano 1000 Antes de Cristo, muito antes dos portugueses invadirem as teras brasileiras.Pouco se sabe  sobre os verdadeiros costumes e como vivia esse povo, mas arqueólogos encontraram em suas peças várias desenhos de animais e até uma mandala na cerâmica, indicando o ciclo da vida-morte-vida.

Tente visitar os ateliers onde são feitas as peças, eu só conheci um ainda completamente artesanal, encantador...

compre suas peças e embale  bem, tive sorte com algumas peças que chegaram inteiras ao destino desejado. Mas algumas chegaram moídas por causa da minha pressa na hora de embalar, a dor é de tê-las perdido, porque voltar é mais difícil e as peças são genuínas!




Uma outra boa opção para conhecer de perto a cultura do lugar, a fauna e a flora da região é hospedar-se numa das fazendas adaptadas para alojar turistas.
Nelas os visitantes podem fazer passeios em jipes, barcos ou a cavalo;
conhecer os igarapés alagados, pastos e as matas. Eu recomendo!!! 
Na época em que gravamos o "OI BRASIL" na Ilha, nos hospedamos na fazenda São Jerônimo no Soure,eles também haviam recebido a equipe do "NO LIMITE" e foi lá que encontramos a floresta com raízes aéreas, fabulosa.
contato:(91) 3741-2093

Bem o clima, é de chuva constante. De junho a janeiro,quando está um pouco mais seco, os passeios ficam mais confortáveis. Nos outros meses, Marajó fica praticamente alagada devido ao alto índice pluviométrico. Isso resulta em duas estações, a mais chuvosa e a menos chuvosa  o que altera totalmente a paisagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Salve salve!!
Se é de paz, pode chegar!!!